Sempre que pensamos em toxina botulínica logo vem à cabeça tratamentos para rugas e linhas de expressão ocasionadas pela idade, não é mesmo? Mas você sabia que o botox também pode ser utilizado na odontologia para curar doenças e condições que não melhorariam com outros recursos?

Provavelmente, você já deve ter escutado que dentistas não têm autorização para fazer o uso de botox em seus pacientes, no entanto não é bem assim. A utilização da toxina botulínica foi pauta de diversas reuniões, uma vez que algumas sociedades e associações médicas viam esse trabalho como impraticável pelos dentistas.

No entanto, o artigo 6º da Lei nº 5.081/66, que regula o exercício da odontologia, afirma que, caso o cirurgião dentista tenha uma pós ou uma especialização, ele tem o aval de praticar tudo o que aprendeu no curso, inclusive prescrever e aplicar a toxina botulínica nos seus pacientes.

Na odontologia, o botox é extremamente indicado para disfunções temporomandibulares, hipertrofia massetérica, sialorreia e também para a prevenção de fraturas, por exemplo. Quer saber outros casos em que a toxina botulínica pode ser utilizada pelos dentistas? Então, continue lendo e confira!

Bruxismo

A desordem funcional caracterizada pelo apertar de dentes durante o sono — geralmente causada por ansiedade, estresse ou acúmulo de tensão, bem como idade e uso de substâncias estimulantes (álcool e tabaco) — é um dos problemas tratados com a toxina botulínica.

No momento em que o profissional aplica o botox no masseter, um dos músculos da face, a tensão diminui. Ao manter o músculo engessado, o tecido permanece sem força suficiente para desenvolver o atrito, evitando o desgaste e interrompendo o ranger de dentes durante o sono.

Os principais objetivos do tratamento de bruxismo são reduzir a dor e evitar danos permanentes nos dentes. Com o uso do botox a sensibilidade dentária diminui, as dores na mandíbula e na face deixam de existir, assim como dores de cabeça, de ouvido e recuos de língua.

Dor facial

A dor facial causada por problemas dentários pode ser amenizada com a utilização da toxina botulínica.

O botox atua como bloqueador neuromuscular, ou seja, quando aplicado no local que apresenta a dor, a comunicação que há entre o músculo e o nervo é interrompida temporariamente, porque impede a liberação de acetilcolina, que é o neurotransmissor responsável pela contração muscular.

Você se lembra quando comentamos sobre a reação da toxina botulínica no tratamento para bruxismo? Então, aqui acontece o mesmo: como a musculatura tem uma espécie de “memória” de contração, ao aplicar o botox sob o local que apresenta a dor, a substância relaxa o músculo e, portanto, impede que o paciente sinta desconforto, sanando o problema.

No entanto, para dor facial do tipo crônica ou dores agudas com menor duração, geralmente os dentistas recorrem a outras formas de tratamento ou recomendam a intervenção de um médico especialista, por exemplo.

Sorriso gengival

Ao sorrir, algumas pessoas que têm o lábio superior mais elevado mostram boa parte da gengiva. Essa exposição em excesso é conhecida pelos dentistas como sorriso gengival. Geralmente, quem tem essa condição sente desconforto e constrangimento ao sorrir e, por isso, procuram a orientação de um cirurgião dentista para corrigir o problema, afinal, ele interfere na sua autoestima.

Há várias maneiras de fazer esse tratamento — plástica na gengiva, uso de aparelho ortodôntico e realização de cirurgia ortognática —, mas a mais comum, rápida, indolor e eficaz é utilizando a toxina botulínica.

Ao ser aplicada, a toxina diminui a contração muscular, impossibilitando que a gengiva se destaque no momento em que o paciente sorrir. Essa é uma excelente forma de corrigir o sorriso gengival.

Implantodontia

A Implantodontia é uma das áreas da odontologia que trata pacientes que apresentam perda dentária, implantando ou reimplantando dentes, melhorando a estética do sorriso e principalmente o equilíbrio da mastigação.

Para fazer esse tratamento, geralmente utiliza-se o implante ósseo integrado feito de titânio que, depois de ser inserido cirurgicamente no osso da mandíbula, recebe a prótese fixa feita sob medida para o paciente.

No entanto, não é de maneira imediata que ocorre a adaptação do paciente à prótese. Depois que o implante acontece, o organismo demora certo tempo para concluir a integração ao osso. É nesse momento que a toxina botulínica entra. Na Implantodontia, o botox atua relaxando a musculatura responsável pela mastigação, ajudando o processo de integração dos implantes ao osso subjacente.

Sorriso torto

Como o próprio nome diz, o sorriso torto, que é naturalmente assimétrico, é uma das queixas de pacientes que buscam o sorriso perfeito. Se antes a correção poderia ser complicada, hoje ela é muito fácil de ser resolvida.

Essa disfunção pode ser tratada com o uso da toxina botulínica, que ao ser aplicada na parte que apresenta o desnível, corrige a falha de modo instantâneo. A aplicação da substância faz com que a musculatura de um dos lados relaxe e o sorriso fique mais atraente.

O botox consegue controlar a ação do músculo depressor do lábio, equilibrando a exposição dos dentes de ambos os lados e deixando o sorriso mais simétrico e harmonioso, tal como o paciente esperava. O melhor de tudo é que o resultado é alcançado de forma prática e rápida, sem a necessidade de intervenção cirúrgica.

Como visto, a toxina botulínica é ideal tanto para a finalidade funcional quanto para fins exclusivamente estéticos indicados em odontologia. O botox geralmente atua de maneira instantânea, mas alguns tratamentos podem surtir efeito após o 4º dia, e o intervalo mínimo entre uma aplicação e outra deve ser de aproximadamente 90 dias. É importante respeitar esse prazo para que o resultado esperado seja alcançado.

Além disso, é fundamental ter conhecimento sobre o profissional que realizará seu tratamento. Então, antes de agendar a sua consulta, informe-se sobre a especialização e saiba também quais são as possibilidades que você tem para tratar o seu problema.

Agora que você já entendeu tudo sobre a toxina botulínica na odontologia, que tal continuar se informando? Leia também este conteúdo e descubra qual é a frequência ideal de ir ao dentista!