Pouca gente sabe, mas tratamentos ortodônticos vão muito além da estética facial. Além de causarem insegurança e comprometerem a linha do sorriso, dentes desalinhados podem alterar a mordida — provocando males que podem incluir dores musculares, problemas na mastigação e até mesmo o comprometimento da fala.

Ortodontia e saúde bucal andam lado a lado, e a escolha do tipo de aparelho correto é essencial para quem deseja um tratamento eficaz na hora de alinhar os dentes.

Precisa usar aparelho, mas não sabe qual é o modelo ideal? Neste artigo você vai conhecer os tipos de aparelho ortodôntico mais comuns, suas características, vantagens, desvantagens e em que casos cada variedade é recomendada.

Antes de apresentarmos cada tipo de aparelho, é hora de abordarmos uma das perguntas mais ouvidas pelos dentistas!

Qual é a melhor idade para começar o tratamento?

O período de saída da infância e entrada da adolescência é o melhor momento para início do tratamento ortodôntico. Isso porque quanto mais avançada a idade, mais duro é o osso, dificultando a correção da dentição.

A idade recomendada para colocação é a pré-adolescência — por volta de 12 anos. Se seu filho está nessa faixa etária e ainda não foi ao ortodontista, é hora de buscar um especialista no assunto. Conheça os tipos de aparelho mais comuns!

Quais são os tipos mais comuns de aparelho?

Aparelho fixo

Dispositivo ortodôntico mais comum, o aparelho fixo é composto por um fio metálico fixado aos dentes com o auxílio de bráquetes e gominhas. Como o próprio nome já diz, ele não pode ser removido sem o auxílio de um dentista e deve ser ajustado periodicamente para que tenha efeito.

  • Como funciona: a correção dos dentes acontece conforme o arco metálico é ajustado pelo dentista, durante as visitas mensais. Esse ajuste possibilita a reconfiguração gradual da dentição, que se movimenta em direção à posição correta por meio de pressão.
  • Quando é indicado: o aparelho fixo é indicado para todas as situações em que a correção ortodôntica é necessária. Ele é contra indicado em casos de problemas ortopédicos — que necessitam de mudanças na estrutura óssea, e não do dente.
  • Vantagens: por não ser removível, o aparelho fixo depende pouco da colaboração do paciente — o que garante maior eficácia no tratamento. Tem um custo relativamente menor, em comparação com aparelhos estéticos.
  • Desvantagens: aparelhos fixos tradicionais pecam no quesito estético, comprometendo temporariamente a linha do sorriso. Podem causar um desconforto maior ao paciente após as manutenções, quando o arco metálico é reajustado. Por serem fixos, exigem maior disciplina durante a higienização. Demandam visitas constantes ao dentista para reajustes.

Aparelho móvel

Feitos de acrílico, os aparelhos de contenção são moldados ao céu da boca do paciente e podem ser removidos sem o auxílio de um dentista.

  • Como funciona: a peça de acrílico é conectada pelo fio metálico que acompanha a linha do dente. Tem função semelhante ao aparelho fixo, sendo responsável pela contenção e o alinhamento da dentição.
  • Quando é indicado: aparelhos móveis são utilizados como contenção — em casos em que o tratamento com aparelho fixo foi encerrado recentemente. Também são recomendados em situações em que há necessidade de correções ortopédicas (que exigem alterações na estrutura óssea e não dentária).
  • Vantagens: não prejudicam tanto a linha do sorriso, em comparação com aparelhos fixos. Por serem removíveis, são de fácil higienização.
  • Desvantagens: exigem um comprometimento elevado por parte dos pacientes, que podem ter o seu uso prolongado caso não sigam o tratamento proposto pelo dentista. Têm eficácia reduzida em adultos, que têm a dentição definitiva já formada.

Aparelho convencional estético

Aparelhos estéticos têm a mesma funcionalidade dos fixos, necessitando dos bráquetes, fio e gominhas. A diferença está nos componentes utilizados em sua fabricação — feitos de materiais como a safira (de cor transparente) e a cerâmica (de cor branca), esses dispositivos proporcionam uma melhor harmonização com a linha do sorriso.

  • Como funciona: o fio de safira ou cerâmica é conectado aos bráquetes, passando por ajustes mensais conforme o alinhamento dos dentes.
  • Quando é indicado: o aparelho estético é indicado quando o paciente não deseja prejudicar a linha do sorriso com componentes metálicos. São populares entre pessoas de faixa etária maior.
  • Vantagem: linha do sorriso mais harmoniosa, proporcionada pelos componentes brancos e transparentes do aparelho.
  • Desvantagem: tanto a safira quanto a cerâmica são componentes mais frágeis que o metal, exigindo um cuidado maior do paciente durante a mastigação e higienização.

Quais são as inovações que a Sorrisus oferece em aparelhos?

Além das alternativas tradicionais, a Sorrisus oferece novas tecnologias em aparelhos ortodônticos, proporcionando mais conforto, eficiência e estética no tratamento. Confira quais são!

Aparelhos autoligados

Dispensam a utilização das ligaduras elásticas — as famosas “borrachinhas”. Nos aparelhos autoligados, o fio metálico é conectado diretamente aos bráquetes, reduzindo o acúmulo de bactérias e o aparecimento de cáries, tártaro, mau hálito e outros problemas bucais.

  • Como funcionam: muito mais eficiente que o aparelho fixo, o tratamento autoligado utiliza uma força bioadaptativa que simula a erupção dos dentes, auxiliando no alinhamento dentário. Isso reduz em até 30% o tempo de tratamento ortodôntico do paciente.
  • Quando são indicados: aparelhos autoligados são indicados para pessoas que precisam alinhar seus dentes, mas não têm tempo suficiente para ir tão regularmente ao dentista.
  • Vantagens: por contarem com peças menores e mais arredondadas, os aparelhos autoligados provocam menor desconforto ao tecido interno dos lábios e da boca. Por serem mais eficazes, trazem mais agilidade ao tratamento, com menos idas ao dentista.
  • Desvantagem: seu custo é mais elevado, em comparação com aparelhos convencionais.

Aparelhos de safira

Diferentemente dos dispositivos estéticos de porcelana comum, os aparelhos de safira são compostos por um material de tecnologia avançada, que confere um visual transparente aos bráquetes. Com alto grau de translucência, esse modelo mescla perfeitamente com a tonalidade natural dos dentes do paciente.

  • Como funcionam: aparelhos de safira têm a funcionalidade semelhante aos aparelhos estéticos tradicionais, se diferenciando somente pela qualidade do material utilizado em sua composição.
  • Quando são indicados: chamados de clear bracers, os aparelhos de safira são aconselhados para pacientes que não querem ter a estética comprometida por um dispositivo ortodôntico. São uma boa opção para pessoas com dentes de tonalidade mais escura, que teriam a linha do sorriso prejudicada pelo tom esbranquiçado dos aparelhos de porcelana convencionais.
  • Vantagens: por serem transparentes, mantêm intacta a linha do sorriso.
  • Desvantagens: são mais frágeis que os aparelhos convencionais, exigindo maior comprometimento do paciente durante a alimentação e higienização.

Aparelhos ortodônticos invisíveis

Chamados de alinhadores, esses aparelhos são feitos sob medida e moldados conforme a arcada dentária do paciente. São removíveis e não exigem bráquetes ou fios metálicos, aliando conforto e eficiência ao tratamento ortodôntico.

  • Como funcionam: a criação dos moldes é feita a partir de um mapeamento digital da estrutura bucal do paciente. Por contar com tecnologia de ponta, o paciente descobre o tempo exato necessário para o tratamento, já na primeira sessão. As placas são substituídas a cada 15 dias, se adaptando conforme os dentes se alinham ao tratamento.
  • Quando são indicados: alinhadores são recomendados para pacientes que não desejam, de forma alguma, utilizar aparelhos ortodônticos fixos. São populares entre pessoas que já usaram o aparelho fixo e não desejam repetir o tratamento.
  • Vantagens: por serem invisíveis, não prejudicam a linha do sorriso. Podem ser removidos, facilitando a higienização. Têm o tempo de tratamento reduzido e bem definido.
  • Desvantagens: demandam visitas frequentes ao dentista, para substituição das placas. Não são indicados para casos de oclusão ou mordida cruzada, sendo recomendados somente quando há necessidade de alinhamento dos dentes. Assim como os aparelhos móveis, exigem disciplina e colaboração do paciente para eficácia nos resultados. Custo maior, em comparação com aparelhos tradicionais.

Chega de dúvidas na hora de visitar o dentista! Com essas informações sobre os tipos de aparelho, você estará preparado para iniciar o seu tratamento ortodôntico e conquistar aquele belo sorriso.

Acha que está precisando de aparelho? Ainda não agendou sua visita ao dentista? Converse com nossos especialistas e agende hoje mesmo a sua avaliação!