A dor de dente está entre as piores dores que se pode sentir, não é? Quando ela aparece, falar, mastigar e até mesmo fazer as atividades do dia a dia fica mais difícil.

Ela pode surgir devagar e sumir quando se toma um analgésico ou anti-inflamatório. Mas é aí que mora o perigo: a dor de dente, se não investigada e tratada, pode se tornar um problema ainda maior, podendo até levar à perda dentária.

Quer saber mais sobre esse incômodo tão doloroso e que compromete a sua saúde bucal? Então, continue a leitura e confira!

Como é a dor de dente?

Ela é uma dor que pode começar fraca e ganhar mais intensidade com o passar do tempo, ou, ainda, vir de uma vez e muito forte. A dor de dente também é descrita como latejante, pulsante ou com fisgadas.

Além disso, ela pode irradiar de um dente para os outros, para a arcada dentária ou para outras estruturas da cabeça ou do pescoço. Sendo assim, ela é confundida com outros sintomas, o que pode fazer com que a pessoa não procure tratamento odontológico de imediato.

Quais são as causas?

A dor, em geral, é sinal de que algo não está bem com o nosso corpo, e com o dente não é diferente. Um dente saudável não dói, portanto, se você sentir esse incômodo, por menor que seja, é hora de procurar um dentista – e você deve fazer isso o quanto antes. Somente esse profissional poderá avaliar e indicar o tratamento correto para o seu caso.

A causa mais comum da dor de dente é a cárie: condição em que as bactérias presentes na boca liberam um ácido que corrói o esmalte dentário e degrada o dente, levando à infecção e à inflamação da polpa dental, das gengivas e até do osso que suporta o dente.

Por sua vez, as cáries são causadas pela má higienização bucal, que favorece o acúmulo de resíduos de alimentos que servem de “comida” para a proliferação das bactérias na boca.

Outros possíveis motivos para a dor de dente são:

  • sensibilidade dentária ao consumir alimentos e bebidas com temperaturas extremas (quente/frio);
  • desgaste do esmalte dentário;
  • bruxismo — doença caracterizada pelo ato de ranger e apertar os dentes involuntariamente e ocorre, principalmente, durante o sono;
  • abscesso — bolhas de infecção com pus na gengiva;
  • traumatismos dentários;
  • periodontite;
  • gengivite — inflamação da gengiva;
  • retração da gengiva — quando há exposição da raiz do dente.

Quais são os fatores de risco?

Embora a dor de dente possa aparecer em qualquer um, algumas pessoas estão mais suscetíveis a esse tipo de problema. Existem fatores que favorecem os problemas dentários e que resultam nesse tipo de dor. São eles:

Idade

As crianças e os adolescentes sofrem mais com esse mal. Isso talvez aconteça porque a limpeza da boca muitas vezes não é feita como deveria. Já as pessoas com mais idade tendem a ter dor de dente por conta das inconveniências que aparecem com o envelhecimento, como a xerostomia (boca seca), e pela dificuldade de fazer a higiene bucal adequada.

Alimentação

Certos tipos de alimentos e bebidas, principalmente os açucarados, propiciam o aparecimento das cáries — as bactérias consomem o açúcar que está grudado nos dentes, liberando o ácido que prejudica o esmalte dentário.

Portanto, ter uma alimentação que contém muitos doces, balas, caramelos, bebidas com açúcar, mel, bolos, biscoitos e outros produtos que aderem aos dentes, é um fator de risco para o desenvolvimento das cáries e, consequentemente, da dor de dente.

Além disso, os alimentos muito ácidos podem provocar dor em quem tem sensibilidade dental. Sendo assim procure um profissional de saúde para que ele indique o melhor tratamento para combatê-la.

Higienização bucal

Mesmo que você faça a escovação dos dentes após todas as refeições, se a higienização da boca não for completa, os restos de comida ainda ficam em áreas que a escova não alcança. Dessa forma, as bactérias se juntam no dente e causam a cárie que, como dissemos, é responsável por muitos problemas.

Como tratar a dor de dente?

Primeiramente, é necessário procurar ajuda profissional assim que a dor for detectada. Tomar remédios para aliviar os sintomas, sem consultar um dentista, pode até aumentar o problema – mascarando sintomas – e diminuir as chances de resolvê-lo da melhor maneira possível.

As causas da dor de dente serão avaliadas pelo dentista para que, assim, ele possa dar o diagnóstico e indicar o melhor tratamento, sendo que para cada fator de causa há um tipo de procedimento mais adequado.

No caso das cáries mais rasas é possível fazer a obturação e a restauração do dente. Já para as mais profundas, que atingiram a polpa dental, é necessário o tratamento de canal.

Nos quadros de cáries mais severas, em que as estruturas do dente e as que o cercam foram comprometidas, pode ser inevitável a extração dentária. Por isso, quanto mais cedo você procurar auxílio, maiores são as chances de recuperar a saúde do dente afetado.

As outras causas também têm tratamento para aliviar as dores e melhorar a qualidade de vida do paciente. O bruxismo, por exemplo, é tratado com a utilização de placas que diminuem o atrito dos dentes e o desgaste deles. Já a sensibilidade é reduzida com o certos tratamentos e o uso de cremes dentais específicos e indicados pelo dentista.

Como evitar a dor de dente?

A limpeza adequada dos dentes, da língua e de toda a boca é fundamental para assegurar a saúde bucal e, com isso, evitar os problemas que podem causar a dor de dente. Outra forma é ficar atento aos fatores de risco e tomar medidas preventivas.

Além do mais, é essencial consultar o dentista regularmente para verificar se está tudo bem com os seus dentes e para que ele possa detectar alguma alteração e intervir, se necessário.

A dor de dente é, realmente, muito incômoda e afeta diretamente o bem-estar de quem a tem. Sendo assim, manter a higiene bucal e as visitas ao dentista em dia são formas de evitá-la e não sofrer desse mal.

Quer manter os cuidados bucais em dia? Marque uma avaliação com um dos especialistas Sorrisus!