Você tem medo de dentista? De acordo com o estudo sobre Odontofobia realizado na UFPE (Universidade Federal de Pernambuco) em 2011, pelo menos algum nível de ansiedade é sentida por cerca de 23% dos pacientes. Já o temor moderado faz parte do dia a dia de 30% deles, enquanto 13% dizem sentir medo extremo das consultas.

A odontofobia, nome dado ao problema, está incluída nos chamados transtornos fóbico-ansiosos. Eles são caracterizados por um grupo de sintomas de ansiedade ativados por situações específicas que na verdade não apresentam perigos à integridade física de quem tem o medo.

Mas, afinal, quais são as causas desse medo de consultas odontológicas? Como ele afeta a saúde bucal das pessoas? É possível superá-lo? Continue a leitura deste artigo e confira a resposta para essas e outras questões!

O que é a odontofobia e quais são as suas causas mais comuns?

Odontofobia é o nome dado à condição caracterizada pelo medo irracional de ir às consultas com um dentista. Esse problema pode ser mais leve, com a presença de um sutil desconforto, ou completamente incapacitante, a ponto de o indivíduo não conseguir pensar no assunto.

O medo pode ser causado por uma série de fatores. Confira quais são os principais abaixo:

Experiências traumáticas

Embora normalmente tais experiências ocorram durante a infância, os adultos também podem desenvolver a fobia. Situações atípicas, como profissionais despreparados e a presença de dor durante os procedimentos, são os principais responsáveis por essa causa.

Fobias preexistentes

Muitas vezes, o medo de dentista está relacionado com a presença de outras fobias, como o medo de agulhas, por exemplo. Por conta disso, as pessoas acabam desenvolvendo medos secundários ao perceber que seu pavor inicial estará contido naquela situação em particular.

Falta de controle e de informação

Muitas pessoas se sentem desconfortáveis ao se verem longe do controle das situações. A vulnerabilidade é um fator crucial no desenvolvimento do medo de dentistas, já que os pacientes têm dificuldade em observar os procedimentos feitos.

Histórias de terceiros

Os seres humanos têm uma característica importante chamada empatia, que é a capacidade de se colocar no lugar de outros indivíduos. Por isso, ao ouvir histórias traumáticas de terceiros, podemos desenvolver o medo por tabela — especialmente no caso de crianças.

Quais são os principais sintomas desse problema?

Os sintomas do medo de dentista podem variar de pessoa para a pessoa, já que as fobias se apresentam de formas bastante diferentes, dependendo da situação e das experiências individuais. No entanto, na maior parte das vezes eles incluem:

  • batimentos cardíacos acelerados;
  • fraqueza, principalmente nas pernas;
  • suor excessivo;
  • tremores incontroláveis;
  • náuseas e enjoos;
  • frio ou calor excessivos;
  • dores estomacais e de cabeça;
  • tonturas;
  • sensação de pavor.

Esses sintomas podem aparecer já com o pensamento de marcar a consulta ou apenas surgir poucas horas antes dela.

Como esse medo afeta a saúde bucal dos pacientes?

A odontofobia é um processo que resulta na diminuição de consultas periódicas com os dentistas. Isso afeta a prevenção de problemas bucais, como a cárie e a gengivite, e colabora com o agravamento de tais quadros.

Como exemplo, podemos citar o estudo sobre Odontofobia conduzido pela Dra. Annemarie A. Schuller (especialista holandesa em doenças infecciosas e odontologia pediátrica) em Trøndelag (Noruega).

Essa pesquisa evidencia a maior suscetibilidade de pacientes que lidam com o medo de dentista em desenvolver cáries e sofrer com a perda dental, além de se submeterem a um número reduzido de procedimentos feitos para reverter tais situações, como as restaurações e obturações.

Quando esses problemas são diagnosticados logo no início, os tratamentos são muito mais eficazes e rápidos, garantindo curas e recuperações mais velozes. Além disso, a prevenção evita procedimentos mais invasivos no futuro e a queda da qualidade de vida dos pacientes devido às dores causadas pelas doenças dentais.

Como superar o medo de dentista?

Felizmente, é perfeitamente possível superar o medo irracional de dentistas. Com paciência e com a participação ativa dos profissionais da área é possível resolver a situação de forma sutil e duradoura. Vamos descobrir como? Acompanhe!

Descubra o motivo do medo

O medo nada mais é do que um apanhado de reações físicas e psicológicas a uma situação de perigo, seja ele real ou não. Boa parte dos temores são ativados por meio de gatilhos, fatores específicos que fazem com que a reação ocorra.

Por isso, é importante identificar exatamente qual é a causa do seu medo. Apenas a partir da definição dos gatilhos será possível aprender a lidar com as sensações que as idas ao dentista causam em você, além de direcionar a conversa que você terá mais à frente com o profissional escolhido.

Informe-se sobre a redução da dor em procedimentos

Converse com o seu dentista sobre as ferramentas disponíveis para minimizar a dor durante os procedimentos feitos. As opções incluem anestésicos locais, anestesias ou sedações, como é o caso do óxido nitroso (também conhecido como “gás do riso”), uma substância capaz de relaxar o paciente, mantendo-o acordado.

No caso de crianças, além da redução da dor e da sedação, o controle comportamental também deve ser feito. Seu principal objetivo é deixar os pequenos mais confortáveis e menos estressados, fazendo uso de estímulos diferentes para promover a distração e mantendo a comunicação sempre ativa, mostrando ao paciente os passos feitos nos procedimentos.

Encontre um profissional qualificado

Um dos principais passos para superar o medo de ir ao dentista é escolher um bom profissional, que além de qualificado em sua profissão seja uma pessoa empática e cuidadosa. Ele deve conversar durante os procedimentos, explicando o que está sendo feito, e estar aberto a responder todas as suas perguntas sem julgamentos.

Além disso, a abordagem escolhida pelo profissional é essencial para que o medo de dentista seja reduzido. De acordo com o estudo sobre análises comportamentais e odontofobia realizado em 2004 por especialistas em psicologia da Noruega, o trabalho em parceria entre paciente e dentista é capaz de melhorar as taxas de retorno para as consultas em até 77%.

Assuma o controle

A fim de minimizar o medo, uma boa dica é tomar as rédeas da situação e assumir o controle. Essa simples atitude é capaz de tornar as consultas muito mais confortáveis, acalmando o paciente.

Para isso, questione sem medo. Lembre-se de que o dentista é um parceiro e está disponível para responder os principais questionamentos. Tire todas as suas dúvidas e se informe sobre como são feitos os procedimentos. Ao saber exatamente o que acontecerá, você fica muito mais relaxado e confiante.

Distraia-se

Os sentidos são responsáveis diretos por ativar as reações de medo em nosso organismo. Por isso, enganá-los pode ser uma ótima opção para aprender a lidar com o medo de dentista. A razão para isso é que boa parte das reações de medo durante a consulta e os procedimentos é ativada por conta dos sons ou característicos.

Para evitar esse tipo de problema, escolha um modo de se distrair. Que tal, por exemplo, levar fones de ouvido e escutar as suas músicas preferidas enquanto o dentista trabalha? Outra opção é escolher consultórios que tenham uma televisão disponível, para que o foco de sua atenção visual não fique diretamente sobre as luzes.

Vá ao dentista frequentemente

Pode parecer irônico, mas esse é um dos conselhos mais importantes. As visitas periódicas ao consultório evitam o surgimento de problemas mais sérios, que são aqueles responsáveis por boa parte dos traumas dos pacientes. Além disso, ajudam você a perceber que as consultas são tranquilas.

Converse com seu dentista sobre a frequência necessária das consultas e entre em um acordo sobre a periodicidade que seria capaz de ajudar a combater o medo. Além disso, acompanhar entes queridos em suas respectivas visitas ao consultório pode ser outra maneira de aumentar o número de idas ao dentista de modo indireto.

E aí, acha que já consegue superar o seu medo de dentista? O primeiro passo para se ver livre desse problema é encontrar um profissional qualificado e empático, que esteja apto a responder todas as suas perguntas com respeito e atenção. A partir daí, fica muito mais fácil expor todos os seus temores e resolvê-los ao seu tempo!

Gostou do post e quer ficar por dentro de outras novidades? Então, siga as nossas redes sociais, que estão sempre recheadas de informações úteis para você. Estamos no Instagram, no Facebook e no YouTube!